segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Efeitos - Alteração em Pele, Cabelos e Unhas

As drogas usadas nos tratamentos quimioterápicos afetam e muito nosso organismo com um todo, mas precisamos estar preparados para alterações especificamente em algumas áreas do corpo.
 
- Pele e Mucosas:
 Reações de hipersensibilidade - Isso quer dizer, que todas as drogas usadas tem o potencial de causar algum tipo de reação à própria infusão.
O que podemos fazer: Tais reações poderão ser prevenidas, amenizadas ou abolidas com medicamentos antialérgicos indicados pelo médico.
 
Alterações Pigmentares - Essas alterações de cor podem afetar a pele, as mucosas, os cabelos e unhas.
 
O que podemos fazer: em resumo, evitar o sol.
 
Geralmente as alterações se resolvem dentro de algumas semanas a vários meses após a interrupção da droga. A hiperpigmentação das unhas pode persistir por anos em alguns casos.
Outras alterações - A pele de pacientes em quimioterapia pode se apresentar seca e vermelha. Deve-se evitar banhos muito quentes, usar hidratante neutro ou óleo de amêndoas. E beber muita água para nos mantermos hidratados.
 
- Unhas:
Alterações Pigmentares - os medicamentos podem induzir hiperpigmentação, e com dito anteriormente pode durar por alguns anos.
 
Onicólise (descolamento de unha) - Causada por inflamação no leito ungueal, o que leva ao descolamento da unha.

Alterações Inflamatórias - Pode ocorrer inflamação ungueal, na maioria das vezes muito dolorosa.

 
O que podemos fazer:
Proteger sempre as mãos de fatores que podem aumentar a agressão às unhas, tais como produtos de limpeza, e sol. Li relatos de pessoas que usam luvas para fazer a limpeza de casa e para lavar louças ou roupas. O protetor solar nunca deve ser esquecido nessa área, vale utilizar as luvinhas também para dirigir. Mantê-las sempre limpas diminui o risco de infecção.
Quanto a manicure, quem vai dizer se pode ou não é o médico, mas é óbvio que existe risco de infecção ao retirar cutículas, e uso incorreto de material. Acho melhor evitar nesse período. 
 
 
- Cabelos:
A alteração mais comum é a Alopecia (queda de cabelo). E depende do tipo de quimioterápico usado. Geralmente inicia-se após uma a três semanas do início da quimioterapia. Novos fios de cabelo poderão nascer ainda durante o tratamento, caindo várias vezes neste período. Pode ocorrer queda dos pelos da região pubiana, sobrancelha e, algumas vezes, cílios.
A queda de cabelo é temporária, voltando a nascer, em todas as regiões, após o término do tratamento quimioterápico.
 
O que podemos fazer: Relaxar, já que é inevitável. Entender que faz parte do processo de cura e descobrir qual é a melhor maneira de passa por esse período.
 

Fonte: Site Oncológica, por Dra Stella Sala Soares Lima
www.cancerinfo.com.br/.../efeitos-colaterais-comuns-da-quimioterapia.ht...