segunda-feira, 12 de maio de 2014

Tá levando o casaco???

... Quem não ouviu as frases clássicas das mães: "pegou a chave?  leva sombrinha porque vai  chover, tá levando o casaco?,  almoçou direitinho filhinha? ... você é linda de qualquer jeito, minha filha"... Todos os privilegiados que tem a mãe por perto não escapam dos inúmeros conselhos e previsões delas, sempre acompanhados do "vá com Deus" e "Deus te abençõe".
Quando eu era criança ficava seriamente pensando que minha mãe era uma espécie de "gênio" ou coisa parecida... Era inacreditável, ela sempre sabia onde estava aquilo que eu procurava, sempre sabia o que fazer numa situação complicada, suas previsões eram sempre certeiras, se falasse para levar o guarda chuvas e eu não desse ouvidos, voltava para a casa molhada...Seus chazinhos milagrosos melhoravam o resfriado e as dores, e o colo, os abraços e os ouvidos acalmavam o coração. É, quando eu era criança achava que minha mãe era uma espécie de bruxinha do bem, uma "gênia" , bem, e hoje? Hoje EU TENHO CERTEZA!!!
Difícil falar dessas coisas sem embaraçar os olhos com lágrimas, sem segurar o choro na garganta... Meu maior sonho sem dúvida é colocá-la numa fonte eterna de juventude e saúde, poder desfrutar ao máximo dessa companhia insubstituível, desse amor que transborda...
Certa vez numa dessas previsões de mãe, eu sai de casa super espevitada para  um show numa cidade vizinha... e ela tentou de tudo para impedir, porque estava com um pressentimento ruim, ao que respondi: "mãe não viaja, vai dormir, não se preocupe a toa... todo mundo vai". Resultado: voltei para a casa com o nariz quebrado, literalmente!!!  Nos envolvemos num acidente na volta, que por muita sorte, ou melhor, proteção de Deus, nada de muito grave ocorreu a ninguém...  Porém mais uma vez a bruxinha estava  certa...

Há um ano atrás, no dia das mães eu tinha uma suspeita de estar  com um câncer maligno e  não queria dar mais uma notícia tão difícil para a Dona Terezinha, que já tinha  problemas suficientes naquele momento... Mas ao se confirmar a suspeita, não tive como esconder, aliás nem que eu quisesse conseguiria, porque ela descobre  todas as coisas em sua "bola cristal". E então fomos ao oncologista, ela não entrou comigo porque pedi que deixasse somente o meu marido me acompanhar, tive medo da reação dela ... e após uma longa explicação do médico que me disse que minhas chances de cura eram de 50% a 60% .Não teve jeito: ela me olhou com seu olhar fuzilante e me disse: 
- O que está acontecendo?
A essa altura eu acho que ela já sabia por dentro, mas estava tentando fazer um acordo com DEUS para que aquilo não fosse real. E eu respondi finalmente: 
-  É isso mesmo mãe, estou com um câncer e vamos ter de cuidar disso. 
Ela me deu um abraço, um longo e forte abraço, e não disse uma palavra ... mas eu entendi tudo, e me senti no colo dela, como tantas outras vezes. E como sempre ela me deu a sua mão, seu tempo, sua oração, seu carinho e me daria tudo o mais que lhe fosse possível... E em mais uma jornada, caminhou comigo, e essa era a única certeza naquele momento de tantas incertezas...
... Ela continua a caminhar comigo, para minha imensa alegria!!!
- Dia das Mães -