terça-feira, 29 de abril de 2014

Siêncio Por Favor

Pelo Direito de Calar.
Nesse mundo globalizado, onde além de recebermos um turbilhão de informações  vindas de tudo que é lado,  a todo instante a cerca de tudo. Na geração do #Selfie, em que celebramos a ditadura do eu, onde cada vez mais se torna normal a exposição da própria vida, onde todos queremos mostrar ao mundo quem a gente é, sem pudores, sem vergonha... Escancarando as portas de nossa casa, da nossa intimidade, da nossa vida.
Diante dessa realidade, talvez fique difícil para nós, pessoas "normais" entender aqueles "estranhos" que não se misturam, que se recusam a fazer parte desse mundo. Pessoas que querem se esconder no anonimato, bem longe dos holofotes das redes sociais. Que preferem calar suas dores e não escancarar seus amores...
Complicado compreendê-los não é? Porém, depois de descobrir que a VIDA NÃO É LINEAR, só tenho a expressar meu grande respeito aqueles que só querem passar desapercebidos, que igualmente encaram todas as lutas da vida com a  coragem de quem escolheu percorrer seus caminhos sem dar alarde, talvez sem querer incomodar a essa geração tão excessivamente às voltas consigo mesma.
Eu já soube tirar do bolso a solução para casos como esse, já me meti a dizer com certeza como que era correto agir: " tem que se expôr, colocar os monstros para fora..." Simples assim. Hoje apenas sei que ninguém TEM QUE nada! Aliás o único TEM QUE válido é respeitar o outro, e se possível apoiar cada decisão, mesmo que isso signifique aprender a ouvir o silêncio.
                 


... Perdão eu, por falar demais...
... Chiiiiiii...