sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Donas de Casa Felizes



Housewives nada desesperadas...

Ninguém imagina, mas em pleno século XXl, mulheres lindas, estudadas, independentes e bem-sucedidas, deixam de lado um monte de preconceitos e se dedicam a cuidar da casa, do marido e dos filhos, por pura OPÇÃO e surpresa: SÃO FELIZES ASSIM!
Confesso que uma das coisas que mais me envergonhava, no inicio do tratamento do câncer era ter que admitir que eu estava "usufruindo" de um direito meu e todo todo paciente de câncer, a lincença saúde ou  o auxílio doença, ou seja, eu achava que tinha que explicar a todos inclusive apara mim mesma, que era permitido e necessário passar pelo tratamento na minha casa...
Logo eu que sempre corri horrores para dar conta de TODOS os meus afazeres e como corretora autônoma, não tinha hora para parar de trabalhar, sempre levei serviço para casa. Enfim, me fazia mal não estar no meu "habitat natural". Até que entendi que meu corpo pedia esse tempo e para falar a a verdade, mulher não pára nunca não é? Como abandonar os afazeres de casa? as decisões domésticas?  E quem é autônomo meu bem, não pára mesmo! Ocelular não te dá brechas e o melhor é ir contornando conforme dá.
Como sempre dá para unir o útil ao agradável, nesse tempo aproveitei para colocar meus cadastros em dia, fazer os serviços burocráticos do trabalho que o dia a dia não me permitiam,  e crealmente coloquei meu lado Amélia totalmente para fora,  aprendi mil receitinhas que adoro, a decorar minha casa com coisas do tipo "faça você mesma", que ficam super baratos e dão um quê a mais no ambiente ( prometo que vou dando as dicas).
A doença ensina, entre muitas coisas, que não se deve adiar nada, que não se deve esperar para ser feliz, e trabalhar e ser útil me trazem  prazer e fecilicidade, preenchem meu tempo e meu coração, por isso não parei.
Sou uma dona de casa muuuito feliz!




Beijinhos!!!