quinta-feira, 26 de março de 2015

Grandes, pequenos, gigantescos

Put Some Farofa

Gregório Duviver


- Humor, inteligência,modernidade, psicologia -

Grande-amor-da-vida



Ele conheceu o grande-amor-da-vida quando tinha quinze anos. Aprendeu num filme que o grande-amor-da-vida só existe um. Não saía mais de perto dela. Foram felizes por alguns anos.Acontece que o grande-amor-da-vida dele não era mais o grande-amor-da-vida dela, e ela nem acreditava nessa história de grande-amor-da vida nem em filmes de amor. Essas Coisas acontecem (nos filmes). Enquanto namoravam, foi bom. Depois, ela quis terminar e viajar pelo mundo em busca de outros amores-da-vida. Ele passoua vida investigando os outros amores-da-vida dela. Foi uma vida sem muito amores-da-vida, porque foi vivida para que o grande-amor-da-vida dele não tivesse outros grandes-amores-da-vida. Não deu certo. O grande-amor-da-vida dele teve uma dúzia de amores-da-vida. Aos vinte e sete anos, ele estava deprimido porque o grande-amor-da-vida estava se casando com um dos grandes-amores-da-vida dela. Não deu bola para uma mulher que, se ele tivesse ouvido falar, entenderia se tratar do maio-amor-do-mundo. Aos trinta, conheceu o amor-da-vida-inteira num bar, mas o confundiu com uma mulher-chata-que-fala-demais. Aos trinta e dois,só viu espinhas numa moça que, numa vida alternativa, seria o amor-mais-legal-do-mundo. A primeira pessoa a alertá-lo desse desperdício de amores foi seu melhor-amigo. Deixou de ser o melhor-amigo e passou a ser só mais um amigo-que-não-quer-me-ver-felaiz-com-o-grande-amor-da-vida. Aos trinta e cinco já tinha deixado passar vinte e nove sexos-inesquecíveis e oito amizades-profundas. Aos quarenta anos, o grande-amor-da-vida dele (quem diria, ela mesma) resolveu dar a segunda chance ao passado e reviver aquele que foi, para ela, só primeiro-amor-da-vida. Ele precisava tanto ser feliz que não foi. E ela voltou a procurar o grande-amor-da-vida no futuro, não mais no passado. Ele se voltou para o presente e mal deu tempo de viver outro sexo-surpreendente. Pode ser que o grande-amor-da-vida seja um só. Mas os amores-da-vida são muitos, e acontecem o tempo todo - grandes, pequenos, gigantescos.

Crônica retirada do livro PUT SOME FAROFA de Gregório Duvivier, Editora Companhia das Letras.
Páginas 20 e 21